O Bullying

O bullying é um fenômeno antigo.
Mas foi a partir de estudos realizados por Dan Olweus, no início da década de 70, que o problema passou a ser estudado com mais frequência.
Está relacionado com comportamentos agressivos e hostis de pessoas que se julgam superiores aos outros e acreditam na impunidade de seus atos, muitas vezes são pertencentes a famílias desestruturadas, convivendo com pais opressores, agressivos e violentos.
Um levantamento realizado no Brasil pela Associação Brasileira Multidisciplinar a Infância e Adolescência em 2002, envolvendo quase 6.000 alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental de 11 escolas do município do Rio de Janeiro, demonstrou que 40,5% dos estudantes admitiram ter algum envolvimento com comportamento de bullying, sendo 16,9% como vítimas, 12,7% como agressores e 10,9% afirmaram serem vítimas e agressores.
Estudos identificam os locais onde os atos agressivos mais ocorrem: a própria sala de aula, seguida do pátio do recreio escolar e imediações da escola durante o período de entrada e saída dos alunos.
Possíveis consequências do bullying:
·        Baixa autoestima
·        Tendências à criminalidade e realização de furtos
·        Envolvimento em brigas
·        Destruição de patrimônios públicos
·        Abuso de álcool e drogas
 
Casos de pessoas que sofreram bulliyng
1º caso
Em Janeiro de 2003, Edimar A. Freitas de 18 anos, invadiu a escola onde havia estudado, no município de Taiuva, em São Paulo, com um revolver na mão. Ele feriu gravemente cinco alunos e, em seguida, matou-se. Obeso na infância e adolescência, ele era motivo de piada entre os colegas.
2º caso
Na Bahia, em Fevereiro de 2004, um adolescente de 17 anos, armado com um revólver, matou um colega e a secretária da escola de informática onde estudou. O adolescente foi preso. O delegado que investigou o caso disse que o menino sofria algumas brincadeiras que ocasionavam certo rebaixamento de sua personalidade.
Anúncios